Intranet
conectar
NOTÍCIA
Entrevista com a Ir. Maria José Torres
27/07/2016

Como nasceu sua vocação?

 

Acredito que me senti chamada quando ainda tinha 13 anos, quando nossa atual ministra geral, Irmã Joanne, que na época morava em Boca da Mata, foi visitar minha família. Minha irmã Ivanilda já se encontrava no aspirantado e morava com ela. Ao despedir-se de todos nós, ela disse: “Quem será a próxima”? (Nós éramos, na época, cinco mulheres e quatro homens em casa) E eu disse: “Deus me livre”. Mas dentro de mim aquela pergunta ficou remoendo.

E o Senhor foi me conduzindo e eu fui me descobrindo uma pessoa que estava sendo chamada para algo mais. Então quando fiz 15 anos já estava bem engajada na comunidade. Era catequista, participava do grupo de jovens e fazia visitas com a reza do terço nas famílias especialmente no mês de maio. E algo me foi questionando; e algo me dizia que eu poderia fazer mais, que eu estaria sendo chamada para uma vocação específica. Até que comecei a participar dos encontros vocacionais a convite de minha madrinha de Crisma, que hoje também pertence à congregação: Irmã Maria do Carmo Nogueira. Ela me convidou para participar dos encontros vocacionais no Centro Diocesano de Arapiraca. A princípio relutei em participar, fui mais como companhia. E assim ,fiquei dois anos participando e hoje eu digo que foi uma luta desigual e a vitória foi Dele. Os cantos, as leituras, as conversas individuais que tinha com as Irmãs, as partilhas, a convivência com o grupo de vocacionados; tudo me ajudou a discernir que aquela poderia ser a minha vocação. E graças à Deus entrei na Congregação ainda com 17 anos e faria 18 naquele mesmo ano 1989. Não sabia muito bem o que era ser religiosa e religiosa franciscana, mas cada dia eu ia me apaixonando mais e mais por este Deus que é Providencia e pela vida de São Francisco e Santa Clara, me identificando mais e mais. Hoje, tenho a certeza de ser chamada para este serviço, nesta Congregação e continuo renovando o meu sim. “Seduziste-me Senhor e eu me deixei seduzir, numa luta desigual dominaste-me Senhor e foi tua a vitória. ”

 

 

Houve desafios em sua caminhada? E como os superou?

 

Sim, e muitos. Graças à Deus que os tive. Os mesmos foram surgindo e eu estava preparada para enfrenta-los. Outros eu pude contar com a ajuda de pessoas queridas que fui encontrando durante a caminhada que foram luzes e estrelas a me guiar, além disse é claro, de me dedicar a momentos fortes de oração e partilha em comunidade. Sinto que cada obstáculo superado eu pude me fortalecer mais e fazer uma síntese de toda a caminhada, retomando  com mais entusiasmo e prontidão para os próximos que com certeza iriam surgir.

 

 

Depois de 25 anos de caminhada, como você se sente?

 

Muita agradecida a Deus por ter me chamado para o seu serviço e sentir que sou pessoa muito amada e querida por Ele. Foi um tempo que passou rápido demais. Mas fico com a certeza de que, tudo que pude realizar até agora foi só um pouquinho do que ainda estar por vir e do que Ele me pede. Sinto que falta muito por fazer. E quero responder e estar sempre à sua disposição e perseverar para fazer a sua vontade.

Sinto-me agradecida pelas pessoas que foram colocadas ao longo do meu caminho, e que muitas vezes apontaram o retorno para o centro que é Cristo e seu projeto.

Agradeço à Providência por ser quem sou, por tudo que recebi ao longo desses anos; 
obrigada Senhor pelas resistências, pela teimosia, pela persistência, confiança, medos, desafios, pelas coisas negativas e positivas que também recebi e que me ajudaram a me olhar com mais profundidade e retomar com mais firmeza e confiança o trabalho a mim confiado :o Projeto do Reino do céu aqui na terra.

Além de agradecer eu peço a graça de continuar sendo Dele, de ser pessoa simples, aberta, acolhedora. Cultivando mais e mais o dom da escuta, o dom da fé e praticando a misericórdia para comigo mesmo e para com todos.

Sinto-me ainda uma pessoa agradecida pela fé e exemplo que recebi de meus pais e que continuei a cultivar; pela minha grande família, que, com carinho, me ajudou na fé, 
e pela minha segunda família; a Congregação das Irmãs de São Francisco da Providência de Deus que acreditou no meu chamado, apesar das minhas fragilidades; por todas as minhas formadoras e formandas, amigos  e todas as pessoas que direta ou indiretamente me ajudaram no processo formativo, contribuindo com meu crescimento, amadurecimento
e compromisso com a causa dos que se encontram à margem.

 

 

 

Qual a mensagem você deixa para os jovens e as jovens que estão procurando dar respostas para a sua vocação?

 

Que não espere a resposta cair do céu. Busque sempre se perguntar como São Francisco o fez; “Senhor que queres que eu faça”? É no dia a dia, nos acontecimentos, nas pequenas coisas, na fala das pessoas  que o Senhor vai te revelando, o que Ele quer de ti. Fique atento e atenta a tudo que acontece ao seu redor e procure estar com pessoas que possam te ajudar no discernimento de sua vocação seja ela qual for. Uma vocação acertada futuro feliz.

No mundo em que vivemos hoje, parece que tudo que é contrário à proposta de vida cristã,  tudo parece ser mais chamativo e sedutor para  o jovem.Com isso, penso que fica cada vez mais difícil para os mesmos compreenderem e responder ao chamado de Deus.

Cada vez mais é difundido a ideia de que tudo é normal e o bonito é ser diferente. O desejo de Deus é que sejamos nós, à imagem e semelhança Dele.

Jovens, Deus tem um chamado para cada pessoa, e convido você neste momento a refletir sobre qual chamado Deus tem para você... Com certeza Deus não escolheu para mim e para você uma vida de dependência das coisas do mundo, mas sim uma vida livre ,Nele. À medida que optamos pelo Senhor nos tornamos livre e ganhamos a liberdade de sermos chamados filho de Deus. Sabemos que, para alguns ,Deus chama para a vida civil, tendo a vocação de construir na sociedade o seu espaço através de sua profissão, a outros Deus chama a viver uma vida religiosa dedicando-se inteiramente a Ele através do serviço à Igreja. E você já descobriu qual a sua vocação? Para onde  acha que Deus te chama? A resposta você encontrará apenas quando fizer um caminho que te levará a um autoconhecimento.
Dando assim, um passo consciente e maduro, e para isso  se faz necessário acima de tudo, sabedoria e discernimento. Boa sorte e boa descoberta. Que o Senhor te abençoe e te guarde em seu santo serviço. Amém!

 

 

 

 


COMENTÁRIOS 1 comentários

Desire da Silva Mendes

02/12/2016

Bom.dia .paZ. .é bem.
Voltar
Topo